Terça-feira, 10 de Fevereiro de 2009

Esta é a moderna escravidão.

Aquela que nos amarra

Às inúmeras inconsciências

De quem inevitavelmente esbarra

Em inatingíveis sonhos e demais impaciências.

 

Imortais, nós prisioneiros

Que vivemos de tantos sonhos,

Como eternos cavaleiros

Quiçá demasiado tristonhos.

 

Moldamos objectivos próprios

Torneando imposições “genéticas”.

Procura-mos nós um reflexo espelhado,

Que roce a perfeição em vidas frenéticas.

 

Nova sombra neste mundo quase apagado,

Que nos alegre por momentos impares

Adiando aquele dia anunciado

Lapidamos dias de aprimorados ares.

 

Talhando minuciosamente o coração,

De quão forma incontornável

Resume-se tal vida em Escravidão,

E seu término como inevitável.

 

  

 

 

publicado por Fábio Duarte às 20:37

De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



mais sobre mim
pesquisar
 
Fevereiro 2009
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6
7

8
9
11
12
13
14

15
16
17
18
19
21

22
23
24
26
27


Últ. comentários
Realmente tens razão Fábio apesar de inexperiente ...
Sem dúvida boa temática escolhida. Quando pensávam...
http://cthings.blogs.sapo.pt/Novo blog, aparece : ...
Sem dúvida um dos teus melhores post!'Gosto!Gosto ...
Gosto do novo estilo do teu blog! :D
Tira um tempinho para escreveres aqui! Saudades*
por vezes é bom escrevermos aquilo que sentimos! :...
Será que todas as palavras definem aquilo que sent...
É incrível essa tua capacidade de surpreender. Mes...
Palavras . Meras palavras que são capazes de refle...
links
subscrever feeds

blogs SAPO


Universidade de Aveiro